REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL UERGS

Briófitas do Parque Estadual de Itapeva, Torres, Rio Grande do Sul, Brasil

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Bordin, Jussara
dc.contributor.author Dewes, Talita da Silva
dc.date.accessioned 2021-03-30T17:53:47Z
dc.date.available 2021-03-30T17:53:47Z
dc.date.issued 2020
dc.date.submitted 2020
dc.identifier.uri https://repositorio.uergs.edu.br/xmlui/handle/123456789/1149
dc.description.abstract O Parque Estadual de Itapeva (PEVA), Unidade de Conservação localizada no município de Torres, Rio Grande do Sul, abriga um mosaico de fitofisionomias que representam um remanescente das formações pioneiras do litoral rio-grandense. A biodiversidade preservada no PEVA é objeto de diversos estudos científicos como também ferramenta para interpretação ambiental da sociedade. O objetivo desta dissertação foi conhecer as espécies de briófitas, bem como a distribuição dessas nas diferentes fitofisionomias (baixadas úmidas, mata arenosa, mata paludosa e mata sobre morros) e a relação com os grupos briocenológicos existentes, contribuindo para a revisão do Plano de Manejo, para o conhecimento taxonômico da flora briológica do Rio Grande do Sul, e também com uma ferramenta para auxiliar as atividades de educação ambiental desenvolvidas no PEVA a fim de valorizar a biodiversidade do local. Os resultados foram organizados em quatro capítulos. O método de caminhamento foi utilizado para realizar o levantamento florístico, resultando na identificação de 98 espécies, 46 gêneros e 31 famílias. As espécies estão distribuídas entre hepáticas (50 spp.), musgos (48) e antóceros não foram encontrados. Foram identificadas 12 espécies como novas ocorrências para o estado do Rio Grande do Sul. As amostras foram coletadas em diferentes substratos naturais e artificiais, disponíveis nas fitofisionomias denominadas baixadas úmidas, mata arenosa, mata paludosa e mata sobre morros. Os grupos briocenológicos mais expressivos em relação à quantidade de espécies foram corticícola (68 espécies), epíxila (22), arenícola (13) e terrícola (11). O grupo casmófita apresentou apenas oito espécies, o saxícola apenas seis e epifila apenas duas. A riqueza de espécies está distribuída de forma heterogênea nessas fitofisionomias: mata sobre morros (67 espécies, 35 musgos e 32 hepáticas); mata paludosa (39, 20 musgos e 19 hepáticas); mata arenosa (11, oito musgos e três hepáticas) e baixadas úmidas (nove, seis musgos e três hepáticas). A variação da composição florística entre as fitofisionomias e tipos de substratos, avaliadas através de análises de Agrupamento por Média de Grupo (UPGMA), utilizando o coeficiente de similaridade de Jaccard e ordenação (Análise de Correspondência - CA), demonstraram uma elevada diferenciação florística entre as fitofisionomias (valores de Jaccard< 0,35). Além da baixa similaridade de espécies entre os substratos amostrados (<0,2). Os aspectos relacionados à disponibilidade e peculiaridades dos substratos sugerem que há uma grande influência desses na singularidade brioflorística de cada fitofisionomia, reforçando a importância da conservação dos remanescentes existentes no PEVA. Demonstram também a necessidade de mais inventários florísticos no estado, especialmente no Litoral, onde ainda é desconhecida grande parte da brioflora existente. Além de ressaltar a potencialidade dessa unidade de conservação como ferramenta para conscientização ambiental.
dc.language.iso 200921s2020####bl#a###fr###########por#d
dc.subject Restinga
dc.subject Musgos
dc.subject Mata atlântica
dc.subject Hepáticas
dc.subject Produção intelectual - Uergs
dc.title Briófitas do Parque Estadual de Itapeva, Torres, Rio Grande do Sul, Brasil
dc.type Arquivo digital
local.contributor.advisor-co Santos, Nivea Dias dos
local.degree.date Unidade em Hortênsias
local.degree.grantor Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
local.description.areasdoconhecimento D582.32


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples