REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL UERGS

"A arte de fazer feira": o papel das mulheres assentadas da reforma agrária na construção das feiras em Sant'Ana do Livramento/RS

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Costa, Cassiane da
dc.contributor.author Allende, Renata Menezes
dc.date.accessioned 2021-08-10T10:28:48Z
dc.date.available
dc.date.issued 2019
dc.date.submitted 2019
dc.identifier.uri https://repositorio.uergs.edu.br/xmlui/handle/123456789/1672
dc.description.abstract Fazer feira não é apenas um negócio, é uma arte. Nesse sentido, as camponesas de Sant’Ana do Livramento/RS são artistas experientes. Nessa pesquisa, busquei entender o papel das mulheres do Assentamento Liberdade no Futuro na construção das feiras camponesas no município de Sant’Ana do Livramento/RS. De forma específica, procurei realizar um resgate histórico das feiras camponesas no município, principalmente, a partir da memória dessas mulheres; entender a importância delas na construção e reconstrução das feiras, bem como a importância das feiras em suas vidas; e compreender as relações entre o trabalho, as feiras e a soberania alimentar. Para tanto, entrevistei cinco camponesas que são referências como feirantes no assentamento com auxílio de um roteiro de questões. Também, utilizei-me de pesquisa documental e fotográfica de forma a complementar as informações. Essa pesquisa apresenta um contexto histórico desde o surgimento das feiras em Livramento, organizado conforme a memória dos/as camponeses/as, até os dias atuais. Nela, conto histórias de luta pela autonomia e reconhecimento do trabalho das mulheres. De maneira a conhecer a trajetória e as motivações que as levaram ao protagonismo das feiras, suas emocionantes trajetórias de vida são trazidas ao conhecimento do/a leitor/a, para que se compreendam as subjetividades por trás da feira. Elas têm a importância da manutenção das famílias no campo com qualidade de vida, também são responsáveis diretas pela elevação da autoestima das mulheres, fazendo com que seu trabalho seja valorizado pelos/as consumidores/as, bem como as coloca como “sujeitas da história”, participantes da vida e da construção social do campo e da cidade. Quando se tira o peso da invisibilidade, o trabalho confere à mulher a autonomia financeira e elas passam a ter o poder de decisão sobre suas prioridades individuais, tendo um ganho mensal muitas vezes superior aos ‘considerados’ como de seus companheiros. As camponesas feirantes são promotoras da soberania alimentar nas mesas de suas casas, assim como nas mesas da feira. Por fim, o papel das camponesas assentadas da reforma agrária na construção e reconstrução das feiras em Sant’Ana do Livramento é de resistência e de luta na construção da liberdade no presente e no futuro.
dc.language.iso 200703#########bl##################por##
dc.subject Mulheres - Áreas rurais
dc.subject Produção intelectual - Uergs
dc.subject Mulheres do campo - Arte
dc.subject Mulheres camponesas
dc.title "A arte de fazer feira": o papel das mulheres assentadas da reforma agrária na construção das feiras em Sant'Ana do Livramento/RS
dc.type Arquivo digital
local.degree.date Unidade em Santana do Livramento
local.degree.grantor Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
local.description.areasdoconhecimento M331-055.2(816.5Santana do Livramento)


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples